Saiba
Inchaço, menstruação atrasada e cabelo caindo podem ser efeitos da quarentena

Publicado em 11/06/2020 18:12

Foto/Reprodução


Do VIX - Com a pandemia de COVID-19 e a consequente orientação para que as pessoas evitem ao máximo sair de casa, a rotina de boa parte das pessoas virou de cabeça para baixo – e o mesmo ocorreu com o organismo delas. Em meio à quarentena, ficou cada vez mais comum observar queixas sobre surgimento de acne, queda de cabelo, unhas enfraquecidas e até inchaço no corpo, mas tudo isso tem uma explicação (e uma saída).

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Consequências da quarentena para a saúde

De acordo com a endocrinologista Lorena Lima Amato, tanto o estresse e a ansiedade gerados pela situação atual quanto a mudança repentina de rotina causada pela quarentena são fatores que podem trazer sintomas às vezes inespecíficos (ou seja, que podem estar ligados a um bocado de causas). Isso porque tudo isso está relacionado a alterações hormonais que, quando ocorrem, geram efeitos colaterais.

Queda capilar, unhas fracas, ganho de peso e mais

Conforme explica, um destes hormônios é o cortisol, que, sob estresse, todo mundo acaba produzindo a mais – e, embora nem todas as pessoas apresentem estes sinais físicos do aumento na produção, outras os têm. “Cortisol em excesso pode levar a ganho de peso, e algumas pessoas podem manifestar queda de cabelo, irregularidades menstruais, cabelos e unhas fracos”, afirma a endocrinologista.

Ciclo menstrual desregulado

Além disso, a médica explica também que, devido ao estresse, é possível que o hipotálamo (área do cérebro que comanda uma série de processos metabólicos) também sofra alterações em suas funções, contribuindo, por exemplo, para que haja irregularidades no ciclo menstrual, surgimento de acne e também a queda de cabelo em níveis aumentados.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Diabetes desregulada

Com a alta destes hormônios, pessoas diabéticas também podem observar alguns efeitos colaterais. “A adrenalina e o cortisol, liberados em situações de estresse, são hormônios que elevam os níveis de glicose no sangue e ainda geram resistência à ação da insulina”, explica Lorena, afirmando que, sendo assim, é possível que algumas pessoas tenham mais dificuldade em controlar a doença.

Leia Também:

Especialista ensina truque simples para acabar com a dor de cabeça em 10 segundos

Depilar as partes íntimas é mais perigoso do que você imagina

Dor no estômago: 11 causas e como tratar com remédios, chás e mais

Como contornar estes problemas?

De acordo com Lorena, o primeiro passo para eliminar problemas gerados especialmente por estresse em excesso é justamente controlar os níveis dele. Além disso, para manter o equilíbrio do organismo, é necessário tentar ao máximo ter um dia a dia equilibrado. Conforme explica, estes dois fatores podem ser alcançados das seguintes formas:

  • Praticar atividades físicas, que liberam hormônios ligados ao bem-estar, garantem um sono mais relaxado e mantêm o corpo saudável;
  • Manter um hobby ou atividade prazerosa que ocupe a cabeça para criar certa distância da situação que gera o estresse;
  • Praticar meditação para controlar a ansiedade e relaxar tanto a mente quanto o corpo;
  • Manter uma alimentação saudável – ou seja, que não seja nem cheia de restrições, nem marcada por excessos ou alimentos pobres em nutrientes, mas cheios de calorias vazias (como doces e frituras);
  • Buscar ajuda profissional, como sessões de terapia (que, durante a quarentena, muitos profissionais têm oferecido de forma online).


COMPARTILHAR NO WHATSAPP