Descoberta
Fóssil revela tartaruga pré-histórica do tamanho de um carro que viveu na Amazônia

Publicado em 13/02/2020 10:22

O fóssil mostra que a tartaruga era muito maior que os homens — Foto: PA MEDIA/BBC


Por BBC via G1 - Fósseis de uma tartaruga do tamanho de um carro foram descobertos no norte da América do Sul. Acredita-se que a espécie Stupendemys geographicus tenha vivido na região entre 13 e 7 milhões de anos atrás.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Os fósseis foram encontrados no deserto de Tatacoa, na Colômbia, e na região de Urumaco, na Venezuela. Os primeiros fósseis da espécie foram descobertos na década de 1970, mas desde então há muitas incógnitas sobre o animal de 4 metros de comprimento.

A tartaruga, que tinha o tamanho e o peso de um carro sedã, vivia em um imenso pântano no norte da América do Sul, antes da formação dos rios Amazonas e Orinoco.

O macho tinha chifres que apontavam para frente em ambos os lados do casco. E cicatrizes profundas encontradas nos fósseis indicam que estes chifres provavelmente eram usados como lanças para combater adversários.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Os pesquisadores afirmam ter encontrado um casco de 3 metros de comprimento e um osso da mandíbula inferior, que deu a eles mais pistas sobre a alimentação do animal.

Eles acreditam que a tartaruga gigante vivia no fundo de lagos e rios ao lado de crocodilos gigantes — e adotava uma dieta diversificada, à base de pequenos animais, vegetação, frutas e sementes.

Segundo eles, o tamanho avantajado foi crucial para a Stupendemys se defender de outros predadores de grande porte. Um dos fósseis da espécie foi encontrado com um dente de crocodilo gigante cravado nele.

Baixa visão e viagens pagas pelo namorado

 

Ao G1, Hyalina, que foi miss Acre em 2018, explicou que sofre de baixa visão desde a infância e atualmente tem 20 graus de miopia. Mesmo usando lente de contato, ela diz que não consegue enxergar perfeitamente com nenhum tipo de lente corretiva.

“Minha visão não é perfeita. Queria que fosse, mas não é, e não é algo que exponho na minha rede social. Em relação à renda, minha família tem baixa renda. Fui uma pessoa que sempre morou em periferia, sempre peguei ônibus para estudar. Estudei em creche pública, ensino fundamental e médio em escola pública. Tenho como comprovar”, frisou.

A jovem já é estudante do curso de enfermagem da Ufac. Ela revelou que deve largar o curso para estudar medicina. Sobre as fotos de viagens e passeios postadas nas redes sociais, Hyalina falou que as despesas são custeadas pelo namorado, que é cirurgião plástico no estado acreano.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

 
Estudante Hyalina diz que tem baixa visão com 20 graus de miopia e sempre estudou em escolas públicas — Foto: Reprodução/Instagram

Estudante Hyalina diz que tem baixa visão com 20 graus de miopia e sempre estudou em escolas públicas — Foto: Reprodução/Instagram

“Ele viaja e me leva com ele. Posto fotos das viagens, mas quem custeia isso é ele. A renda da minha família não tem nada a ver com isso. De repente as pessoas passaram a olhar para isso. Não mereço só porque namoro uma pessoa que estudou e conseguiu vencer na vida? Se ele me largar amanhã eu continuo a mesma. Só vou parar de viajar”, lamentou.

 


COMPARTILHAR NO WHATSAPP